terça-feira, 11 de março de 2008

ERASMUS - Bélgica 2006





Eu sei que já passaram dois anos. Também sei que, provavelmente, estão-se nas tintas para a minha aventura de estudar no estrangeiro.
Mas eis-me hoje saudosista, o que querem?
A culpa é dessa mui nobre instituição de ensino superior que é a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.
Pois, parece que me convidaram para ir falar para os alunos de 1º e 2º
anos acerca da minha experiência no estrangeiro e do ensino da
Medicina Nuclear.
Opá, apelam à minha alma de professor reprimido e eu, tal prostituta de capa e batina, não consigo negar o chamamento.
Lá estarei na próxima 6ªfeira a enfrentar dezenas de jovens mentes ávidas de conhecimento.
E ainda por cima, gosto. Olha que há gente estranha.
E estão vocês a pensar... "ya, e que tenho eu a ver com isso?!?" e eu digo... "ya, nada, vão mas é trabalhar em vez de perder tempo a ler este blog miserável."
Ou então, se quiserem uma desculpa para não trabalhar... façam-me chegar as vossas histórias de ERASMUS.
Como foi? Com Quem foi? Para onde foi? Quanto tempo?
Que relações estabeleceram? (alguém trouxe filhos??)
Balanço da experiência... sugestões para a aula, etc...
Espero os vossos contributos.
Deixo-vos alguns momentos de uma vida que guardo com carinho e saudade. Uma palavra especial para a minha colega, uma santa é o que é, que sobreviveu comigo durante estes meses.

Aprendi a cozinhar (Jesus, como estava palonço...)


E a falta que a mãe faz?? A verdade é que a malta aprende a desenrascar-se...


A experiência profissional...





E as viagens... ai que bom...

E com vocês como foi? E para quem não foi... qual a vossa opinião?
Iam, se pudessem voltar atrás?
Não? Porquê?


bisou
BM

10 comentários:

Ana disse...

Bom, a mim parece-me um tema bem interessante. Uma vez que estou no decorrer da minha aventura ERASMUS, não tenho nada melhor a dizer para além de "isto é uma maravilha".

Um dia destes pediram-nos para irmos falar a uma turma de raparigas, para lhes falar dos nossos países e de como é fazer ERASMUS. Foi muito giro, elas achavam que podia ser arriscado, só pensavam no facto de não terem equivalências e eu disse-lhes que à partida também não ia ter equivalências e ainda assim quis vir sem hesitar. É uma experiência única, não há forma de a repetir.

Não há interail, viagem, férias, emigração que consiga transmitir o sentimento ERASMUS.

E para saber quais são as minhas impressões não há nada como visitar o meu blog... :)

Andrea Santos disse...

Pois é meu amigo... já lá vão 2 anos... e as saudades já vieram muitas vezes... daqueles tempos que queríamos que passassem depressa, e não é que passaram mesmo? das manhãs em que nos tínhamos de apressar; e quando passávamos pelo "corredor maléfico" (para quem não sabe, este corredor foi assim apelidado porque era o corredor que nos dava acesso ao serviço de MN... significava o início do dia de estágio)?!
ah, e à noite, qd dizias "bonne nuit" e eu ficava super irritada e respondia num português muito bem articulado "boa noite"! sim, porque farta de ouvir falar francês estava eu... quanto mais ter de dormir com 2 palavras em francês no ouvido... soava tão melhor "boa noite"...
As aventuras que passámos, desde o 1º dia em que fomos comprar chocolates e cartão para telefonar perto da Grand Place e não sabíamos falar francês. que filmes... até todas aquelas situações caricatas em que nos vimos envolvidos (chéché; seven swords; bruno est mignon; regarder!; vetement; le zoo; fecha a boca; vais ao solário não vais? sim!; voces dormem juntos, não é? sim!; vous avez des vitages? quoi, bruno?!; "chegue-se um bocadinho para baixo e não se mexa se não parto-lhe os pés"; what my key?! minha mulher foi-se deitar; pas de souci ahn?!; oh bruno, vamos ao manchester, o massachussets está aberto?; "Quanto tempo dura o meu exame? três meses" e o nosso "aperô" que por um triz não faltámos; o drama qd ficámos sem dinheiro em mont-godinne, e qd fomos para profondville e deixámos passar o último bus?; tanta coisa que me estou a lembrar mas se fosse escrever tudo...)
Mas valeu a pena. faria tudo de novo... pena tenho de não o poder fazer... acho que é uma experiência fantástica... só quem o faz consegue perceber intergralmente... a todos os níveis, tanto profissional como pessoal...
Não foi uma experiência louca, como muitos dizem... há até quem apelide este programa de "Orgasmus" em vez de "Erasmus"... o nosso erasmus foi mt tranquilinho... os belgas n se metem mt cas meninas de erasmus. não sei se é bom ou mau! lol
Depois, acho uma falta de chá não teres dito aqui ao mundo quem é que te ensinou a cozinhar... uma palavrinha de reconhecimento caía bem ;) hihihihhi (just joking)
LOL
A todos aqueles que estão indecisos... se devem ou não ir, o meu conselho é: vão! se não nunca saberao como teria sido...
Ai, os passeios q demos... ainda fomos a uns quantos paises ali à volta... nao fosse a falta de tempo e de euros... e a festa ainda teria sido maior! lol
bjinhos cheios de saudades desta aventura que passámos juntos.
valeu a pena.

Bruno Martins disse...

Bom dia meninas...

Ana: tens toda a razão. e tens novo post no teu blog. :)

Andrea: é verdade, que loucuras... apesar de ter sido tranquilo. O dia em que ficámos sem transporte para voltar ao hospital, a soneca na estação, quando perdemos o TGV para Paris... aquela noite em Paris (que quarto era aquele, jesus)... a festa na Mêmê e os concursos de vómito (em que não participámos... os portugueses são mesmo betinhos). Passeámos que nos desunhámos... mas também vergámos bem a mola. Quem pensa que ERASMUS é só borga... o nosso não foi. 9h por dia no hospital não é pêra doce.
AH e qdo eu accionei o alarme da faculdade?! pá, que caos.

ai que saudades, porra!

Bisou
BM

Andrea Santos disse...

epa, qdo accionaste o alarme da escola... hahahahaahahhahahaha! não me estava a lembrar dessa... mas sim, foi o máximo... se bem que na altura não pareceu nada engraçado. a escola quase a fechar (apesar de ainda serem 19h) e tu vá de puxar o pc e accionar o alarme. ficámos em pânico... nem estávamos a perceber o que se estava a passar...
e qd apareceu um papel lá em casa a dizer "nous avons aperçu des cardafs" e nós não ligámos... não sabíamos o que queria dizer... so depois fomos ao dicionário! lololololol
enfim.
foi giro

Rita R* disse...

olá:)

Estou em vias de fazer Erasmus tb para a Bélgica.Digo "em vias de" pq falta a minha palavra final de Sim!ou Não!.Ando a ver opiniões das varias experiencias "Erasmicas" xD
Devo dizer que este post onde descreves o que sentiste nesta aventura precisamente na Bélgica e na area da saúde me motivaram. ( é esta tb a minha area)

Realmente deve ser uma experiência marcante e super enriquecedora.

Começo a perceber que se calhar devo mesmo embarcar para terras belgas!Entendi a lição! LOL

Entretanto, boas viagens!
***
R.R.

Bruno Martins disse...

Olá Rita.

ainda bem que te motivou. era essa a intenção.
Se estás na dúvida, vai! Apesar da Bélgica não ser o país mais maravilhoso do mundo, é o centro da Europa! De lá podes apanhar o comboio para montes de países à volta e a preços bastante acessíveis.
Depois, tens os chocolates, os gauffres (deliciosos!!!!)... Só há uma coisa para que tens de te preparar: no inverno faz frio! leva roupa quente, luvas, gorro e cachecol.
Os belgas não são muito amistosos na rua, mas quando os conheces passam rapidamente a amigos. As festas deles são totalmente tresloucadas! O comer não é brilhante, mas as maravilhosas batatas fritas (frites) equilibram o que é menos bom. Uma coisa que tens mesmo de provar são as mitrailettes (bom sítio para as comer: Restaurtante Titanic no campus da Universidade Católica do Louvain). que coisa divinal.

sítios a não perder: grand place e atomium em Bruxelas, Bruges, Gand e Antuérpia.

Para mais qualquer informação, terei todo o prazer em conversar ctg.

Embarca na aventura!

Rita disse...

Bruno,

Sim! Assim mais algumas informações, se não te importares, eram bem vindas.

merci =)
(o meu mail está por aqui...)

Rita Fialho disse...

Olá Bruno! Estou prestes a ir de Erasmus também para a Bélgica, mas ainda não tenho a certeza se vou ou não, ainda estou muito indecisa. Se não te importares, e se ainda te lembrares de como são lá as coisas, poderias dar-me algumas informações de como é lá a vida, ambiente, comida, etc. Sou muito esquisita no que toca a comida e esse é um dos meus grandes medos de ir e não habituar-me a outra comida sem ser a "comida da mamã".
Muito obrigada, Rita Fialho.

Bruno Martins disse...

Olá Rita,

Ainda bem que perguntas, assim poderás escolher em consciência.

Olha, o que eu te posso dizer é que, se fosse hoje, eu teria feito outra escolha. Desde 2006 já tive oportunidade de viajar bastante e conhecer uma parte representativa de países.

A Bélgica, não é, de todo, um dos meus preferidos.

Tem uma boa escola, portanto pela formação estarás sempre bem entregue, mas... Bruxelas é uma cidade triste, sem muita vida e com pouca oferta cultural. Para além de pequena, não tem muito para ver.

A comida é muuuiittto fraca, tirando os gauffres e as batatas fritas, o melhor mesmo é comer em casa.

Mas, repito o que disse atrás... Bruxelas está no "centro" da Europa, consegues deslocar-te para diversos países a preços acessíveis...

Se me é permitido opinar... porque não equacionas ir para Londres?!

Seria a minha escolha hoje!

Espero ter ajudado!

bjs
BM

Rita Fialho disse...

Olá Bruno,
por mim ia para Londres já hoje mas infelizmente a minha universidade não tem nenhuma espécie de acordo com as universidades britânicas o que dificulta muito as coisas. Escolhi a Bélgica porque pareceu-me o melhor país que consigo ir através da minha universidade.

Muito obrigada pela informação, ajudaste bastante!